CIA Giradança

BANDO

dança que ninguém quer ver

Em Bando – Dança que Ninguém Quer Ver, a companhia Giradança expõe situações que o grupo vive ou vivenciou em seus mais de dez anos de existência. Entre elas está a invisibilidade dos corpos de seus bailarinos, tidos como diferentes daqueles geralmente vistos em obras de arte. “Somos artistas periféricos, nordestinos, com uma vasta variedade de biótipos, somos pessoas, com e sem deficiência, coabitando os mesmos lugares físicos e ideológicos”, afirma Alexandre Américo, diretor do espetáculo e do coletivo potiguar.

A coreografia foi criada a partir de elementos trazidos pelos performers. Por meio de improvisos, eixo da linguagem da peça, cada um deles assina sua própria existência em relação ao bando que habita. A ideia de bando, algo central no trabalho, reflete a persistência do Giradança, que encontrou no formato coletivo a possibilidade de “carnificar” questões que assolam a companhia. “Dançar em bando é a maneira pela qual a vida se apresenta em força e forma. Digo, ser bando é a estratégia de sobrevivência sem a qual não poderíamos cogitar a propagação de nossa existência”, diz Américo.

IMG_3501.jpg

CONCEPÇÃO E DIREÇÃO ARTÍSTICA ALEXANDRE AMÉRICO | BAILARINOS CRIADORES ÁLVARO DANTAS, JÂNIA SANTOS, JOSELMA SOARES, ANA VIEIRA, MARCONI ARAÚJO, SAMUEL OLIVEIRA E WILSON MACÁRIO | RESIDENTES  LEANDRO BERTON(SP), EDU O. (BA), MATHIEU DUVIGNAUD (FR) E MARCOS BRAGATO(SP) | TRILHA SONORA TONI GREGÓRIO | DESENHO DE LUZ CAMILA TIAGO | FIGURINO YAGO | CRIAÇÃO CENOGRÁFICA MATHIEU DUVIGNAUD | PRODUÇÃO CELSO FILHO - LISTO! PRODUÇÕES ARTÍSTICAS | FOTOGRAFIA E VÍDEO ARTUR ABRANTES | EDIÇÃO DE VÍDEO ARTUR ABRANTES | FOTOGRAFIA – DIVULGAÇÃO RAVANELLI MESQUITA |