GOLDFISH

A obra filmítica aqui apresentada é o resultado provisório da culminância de experiências estéticas em tempos e formatos distintos (possui imagens de laboratórios em Residência Artística de 2018, vídeos de ensaio em 2020, bem como uma transmissão "ao vivo" feita em novembro do mesmo ano via plataforma virtual, além de imagens aéreas e subaquáticas captadas no início de 2021), vivenciados por Alexandre Américo desde 2018. Ele conta com uma narrativa audiovisual que traz o performer atuando dança em estado de solitude enquanto é filmado por uma câmera em perspectiva subjetiva com ou sem audiência presencial, podendo acontecer de forma híbrida com transmissão ao vivo.

 

SINOPSE:

GOLDFISH FILM assume a solitude enquanto aspecto norteador político-estético.

Ao tematizar o esvaziamento das atitudes empáticas para com aqueles que nos parecem distantes e repensar o que faz a humanidade ganhar seus próprios contornos, iremos desconfigurar a casa, habitat natural de Américo, e apresentar o lar enquanto estado subjetivo.

Assim, pretendemos habilitar a audiência a um mergulho solitário em uma camada da existência onde não esteja lúcida a relação espaço-temporal daquele que poderia ser um peixe dourado; o possível merecedor de nossa empatia.

gold fotooriginal.png

DANÇA, DIREÇÃO E ROTEIRO ALEXANDRE AMÉRICO | MÚSICA OLIVER ORTIZ | ASSISTÊNCIA DE PALCO ANA VIEIRA | FIGURINO ALEXANDRE AMÉRICO | ILUMINAÇÃO ANDERSON GALDINO |CÂMERA LABORATÓRIO GUSTAVO LETRUTA | EDIÇÃO E MONTAGEM DE VÍDEO SAMUEL OLIVEIRA | ARTE GRÁFICA YAN SOARES | FOTOS DIVULGAÇÃO BRUNNO MARTINS | CÂMERA CASEIRA RODRIGO LACAZ | CÂMERA AÉREA E SUBAQUÁTICA IGOR SILVA | OPERAÇÃO DE CÂMERA AO VIVO MYLENA SOUSA |PRODUÇÃO CELSO FILHO - LISTO! PRODUÇÕES ARTÍSTICAS | ASSESSORIA DE IMPRENSA ROSA MOURA